29 de dez de 2013

Futebol brasileiro precisa de reformulação geral

Não é a toa que os assuntos mais difíceis de se conversar são: futebol, política e religião. Não necessariamente nessa ordem, mas a cada dia que passa vemos uma enorme discussão nem sempre pacífica sobre esses assuntos nas mais diversas formas de comunicação na internet.
A intolerância da maioria fanática que não consegue enxergar um palmo a frente dos olhos a não ser a sua própria opinião, é o maior motivo de desavenças e troca de agressões verbais nas redes sociais.
No caso do futebol a situação é ainda pior. As discussões chegam às arquibancadas ou avenidas das cidades, tudo orquestrado por torcidas organizadas que combinam brigas pela internet. E pasmem, algumas torcidas do mesmo time brigam entre elas.
O final do Campeonato Brasileiro de 2013 acabou acontecendo no tribunais. O que de fato aconteceu em campo não foi respeitado. Já escrevi aqui no blog sobre o assunto antes mesmo do julgamento que aconteceu no TJD e no STJD. LEIA AQUI
 A Portuguesa foi goleada por 13x0. Pagou pelo erro de escalar um jogador que estava suspenso. Pagou por incompetência do seu advogado, do seu departamento jurídico, do seu gerente de futebol e do seu presidente. Não adianta pegar carona na imprensa manipuladora e achar que a Portuguesa é a coitadinha da história. Errou! Assinou o regulamento no começo do campeonato junto com os outros 19 times. O beneficado foi o Fluminense que com a perda de pontos do time lusitano, permaneceu na primeira divisão. Se fosse qualquer outro time grande que estivesse no lugar do Fluminense, aconteceria a mesma coisa. Ninguém iria ter dó da Portuguesa.
Já fiz uma matéria antiga aqui no blog sobre viradas de mesa ao longo dos anos e é só dar uma olhada AQUI para ver se o seu time também está lá.
É curioso o povo clamar por justiça no país para que as decisões judiciais sejam cumpridas, que bandidos fiquem na cadeia, que corruptos sejam punidos, que leis e regras foram feitas para serem cumpridas e no entanto quando acontece um erro comprovado juridicamente no futebol, todos querem que as regras sejam quebradas. Não é por aí. As regras precisam ser reformuladas.
Esse nem é o problema maior. Ao longo de décadas temos visto um futebol sofrível dentro de campo e horroroso por parte da esmagadora maioria na direção dos clubes de futebol. Dívidas trabalhistas, fiscais, clubes quase falidos, salários atrasados, falta de estrutura, enfim, uma verdadeira bagunça.
Arbitragem? É melhor nem começar a falar a respeito.
Vem aí a Copa do Mundo no país e tudo vai correr perfeitamente bem, podem ter certeza disso. Pelo menos aos olhos da FIFA e do nosso Governo. No entanto, o legado de destruição será terrível. É só aguardar.
Uma coisa é certa no futebol:
É preciso uma reformulação geral em todas as áreas. Dentro de campo, disciplinares e diretivas.
É utopia, eu sei.

12 de dez de 2013

O pontapé inicial da moralidade pode ser dado pelo Fluminense

Sr. Peter Siemsen
Presidente do Fluminense Football Club

Ser Fluminense não é ser melhor. É ser certo. Não é vencer a qualquer preço mas vencer-se primeiro para depois se tornar vitorioso. É não perder a capacidade de admirar e de se colocar entre as conquistas mais altas. É jamais perder a esperança com dignidade.
É gostar de talento, honradez, arte, paz, justiça, coragem e principalmente bom senso. É saber reconhecer na derrota, um adversário superior.
É rejeitar humilhação, sorrateiros, desleais, soberba, arrogância, suborno ou hipocrisia.  É unir caráter com decisão, sentimento com ação e razão com justiça.
É ter os olhos limpos, sem despeito e ao lado da sensatez.
É conseguir obter o melhor de cada um para reparti-lo com os demais e saber a cada dia, amanhecer melhor.

Diante de todos os fatos negativos ocorridos com o clube no ano fatídico de 2013, curiosamente um ano depois de uma conquista absoluta do Campeonato Brasileiro (2012) e três anos depois da conquista absoluta anterior (2010), vamos esquecer a confusão causada pela Portuguesa ao escalar um jogador de forma irregular no jogo contra o Grêmio na última rodada da competição.
Vamos para a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro aprender pelos erros cometidos esse ano.
Todos nós sabemos da campanha ridícula e patética realizada pelo time durante todo o ano.
Não sejamos hipócritas e ficar em cima do muro num momento tão delicado que vive o clube, o futebol em geral e nosso país.
Alguém precisa começar a moralizar tudo que está acontecendo. E o nosso Fluminense pode dar esse pontapé inicial.

Ainda não sabemos o que vai acontecer no julgamento. Porém, independente do resultado no STJD,  sou a favor que o clube dispute a segunda divisão.

O caso nos tribunais é legal mas imoral.

Saudações Tricolores


11 de dez de 2013

Virada de mesa no Brasileirão 2013?

Hoje (11.12.2013), o programa Bate-Bola Primeira Edição da ESPN Brasil fez um importante esclarecimento através dos ótimos jornalistas Paulo Vinícius Coelho e Mauro Cezar Pereira.
Isso se chama jornalismo feito com credibilidade, competência, honestidade e principalmente imparcialidade. Para quem não sabe, PVC é torcedor do Palmeiras e o Mauro Cezar Pereira é torcedor do Flamengo.
Isso surgiu diante de todas as notícias que aconteceram ontem e vem circulando hoje sobre a provável virada de mesa no Campeonato Brasileiro de 2013 pelos tumultos causados por torcedores no jogo Atlético-PR x Vasco e por causa da escalação irregular de jogadores da Portuguesa ( Heverton) no jogo contra o Grêmio e do Flamengo (André Santos) no jogo contra o Cruzeiro, na última rodada do Brasileirão desse ano.
Muitos caem numa história de que o Fluminense é o "Rei do Tapetão" e a verdade não é bem essa.
Assista o esclarecimento no vídeo.
Independente se vai acontecer a virada jurídica ou não sobre o que está entrando em julgamento referente ao campeonato desse ano, é muito importante esse esclarecimento sobre algumas coisas do passado. Assistam!