24 de jan de 2014

A trilogia perfeita do Made in Brazil

Oswaldo e Celso Vecchione
"Essa é uma banda Made in Brazil só pra tocar rock and roll"
1967. Bairro da Pompéia em São Paulo. Os irmãos Oswaldo e Celso Vecchione formam aquela que seria a maior banda de rock and roll de verdade do Brasil: o Made in Brazil. Viciados em rock and roll e blues, fãs incondicionais dos Rolling Stones, BB King, Chuck Berry e outras grandes feras na história da música, os caras ultrapassam a barreira do tempo e ainda possuem energia pra lá de positiva até hoje, mantendo uma carreira recheada de batalhas difíceis para quem não curte estar na moda. Afinal de contas, esses caras fazem rock de verdade, por sinal, título do álbum gravado em 2008.
Porém, faço essa matéria somente para falar de uma das trilogias mais fantásticas gravadas por bandas de rock no cenário mundial. Sim! Não se assuste. Eu escrevi cenário mundial.
Apesar do Made ter iniciado a carreira na segunda metade dos anos 60, foi somente em 1974 que gravaram seu primeiro disco com o título de "Made in Brazil" e que é conhecido como o disco da banana. Clássico absoluto do rock tupiniquim. Cornelius é o vocalista nesse álbum que ainda tem Rolando Junior na batera e Felini na percursão e vocais de fundo. O disco abre com a clássica "Anjo da Guarda" e encerra com "Uma longa caminhada". Com um título assim, era fácil perceber que chegava ao cenário roqueiro brasileiro em plena ditadura militar, uma banda que teria longevidade com sua longa caminhada. Esse primeiro disco é repleto de rock pesado, na veia e sem frescura. Agora em 2014, o álbum completa 40 anos de seu lançamento e a banda prepara uma verdadeira turne em comemoração. Lamentavelmente não terá a presença do vocalista Cornelius, falecido em 2013.
Chegamos em 1976 e o Made com nova formação grava "Jack O Estripador". Percy Weiss nos vocais e Felini na batera acompanham os irmãos Vecchione. Vários músicos são convidados para participar das gravações de clássicos como "Jack O Estripador", "Tratamento de choque", "Os bons tempos voltaram", "Vou te virar de ponta cabeça" e outras. O estúdio virou literalmente uma grande festa do rock and roll e de lá saiu um dos álbuns mais importantes na história do rock. Vários shows são realizados pelo Brasil e no estúdio a banda prepara o álbum "Massacre". Porém, a ditadura militar proibe o lançamento.
Mas entramos no ano de 1978 e vem o terceiro álbum do Made: "Paulicéia Desvairada". Caio Flávio assume os vocais com a dupla de garotas Juju e Lucinha, Tony Babalu na guitarra e Juba na bateria. Outros músicos também são convidados para as gravações de várias músicas que se tornaram clássicas da banda como "Gasolina", "Paulicéia Desvairada" e "Uma banda Made in Brazil".
Esses três álbuns que considero como uma trilogia perfeita do rock brasileiro, foram gravados pelo Made in Brazil que mantinha na época contrato com a gravadora RCA Victor.
A banda não cansa de cair na estrada. O prazer de vê-los em shows é único.
Particularmente tenho a honra de ter tocado com a banda Anarca na primeira metade dos anos 80 e especificamente em 1982, participado de vários shows abrindo para o Made in Brazil. Era um sonho realizado.
O que posso escrever mais sobre o Made in Brazil?
Obrigado por vocês existirem!
Site Oficial da banda: Made in Brazil
A trilogia perfeita 



5 de jan de 2014

A trilogia perfeita da banda O Terço

Trilogia é um conjunto de obras artísticas que de certa forma estão conectadas e cujo os assuntos formam uma sequência ou simplesmente considerando três obras significativas e sequenciais de um artista. A matéria em questão é música e a banda da vez é O Terço, formada no final dos anos 60 e que está na ativa até hoje.
Com uma extensa discografia entre compactos (singles) e álbuns, O Terço nos brindou durante os anos 70 com uma trilogia absurdamente fantástica. Em 1975 lançam o álbum "Criaturas da Noite" que na minha opinião é a obra mais importante da história do rock progressivo brasileiro. O disco começa com "Hey Amigo" e encerra com a suite progressiva "1974", passando por músicas pra lá de clássicas como "Queimada" e "Criaturas da Noite". A formação nesse disco é com Sérgio Hinds (guitarra), Sérgio Magrão (Baixo), Luiz Moreno (Bateria) e Flávio Venturini (Teclados). Impossível não falar de Cezar de Mercês, que além de músico talentoso é o autor de algumas músicas do disco. Pouco tempo depois a banda vai morar numa fazenda no interior de São Paulo e várias canções são compostas para o lançamento de mais um álbum memorável em 1976, o  fabuloso "Casa Encantada".
O baterista Luiz Moreno faz o vocal nas duas primeiras músicas do álbum, "Flor de la noche" e "Luz de vela", ambas compostas por Cezar de Mercês. O álbum segue recheado de músicas lindas como "Foi quando eu vi aquela lua passar" e "Casa Encantada" e encerrando com "Pássaro", composição de Sá & Guarabyra. Impossível não se encantar por completo ao ouvir o álbum na íntegra. Antológico. Fabuloso.
Em 1977, Flávio Venturini sai da banda para trabalhar com Beto Guedes e Cezar de Mercês retorna, trazendo o tecladista Sérgio Kaffa.
Com a nova formação a banda lança em 1978 o maravilhoso "Mudança de Tempo". O álbum mantém a qualidade dos dois anteriores mesmo com uma sonoridade um pouco diferente. "Gente do interior", "Não sei não" e "Mudança de Tempo" são obras inesquecíveis e registradas nesse disco. Cezar de Mercês tem uma importância única como compositor das principais canções do álbum e como músico.
Nesse período a banda participou do "Concerto Latino-Americano de Rock", festival realizado em São Paulo, Belo Horizonte, Buenos Aires e Rosário.
Em 1979 a banda passava por problemas de diversas origens e chegou ao fim. Cada músico foi seguir seu caminho. Em 1982, Sérgio Hinds reativa a banda com nova formação.
Importante é deixar registrado que essa trilogia fantástica gravada pela banda é um marco não só na história do rock tupiniquim mas também na música brasileira.


1975 - Criaturas da Noite
1 - Hey Amigo
2 - Queimada
3 - Pano de Fundo
4 - Ponto Final
5 - Volte na Próxima Semana 
6 - Criaturas da Noite
7 - Jogo das Pedras
8 - 1974

1976 - Casa Encantada
1 - Flor de La Noche
2 - Luz de Velas
3 - Guitarras
4 - Foi Quando Eu Vi Aquela Lua Passar
5 - Sentinela do Abismo
6 - Flor de La Noche II
7 - Casa Encantada
8 - Cabala 
9 - Solaris
10 - Vôo da Fênix
11 - Pássaro

1978 - Mudança de Tempo
1 - Não Sei Não
2 - Gente do Interior
3 - Terças e Quintas
4 - Minha Fé
5 - Mudança de Tempo
6 - Descolada
7 - Pela Rua
8 - Blues do Adeus
9 - Hoje é Domingo